| Login | Crie o seu Jornal Online FREE!

Valdeck Almeida de Jesus
Desde: 05/08/2010      Publicadas: 481      Atualização: 27/08/2013

Capa |  Atualidades  |  Espaço do Escritor  |  LGBT na Imprensa  |  Manchete


 Espaço do Escritor
  21/09/2010
  0 comentário(s)


Sou só descontentamento e desassossego, com esta baleia franca agonizante e entalada dentro de mim:
Lélia Almeida.[1]



Si miramos la realidad, las mujeres son más sólidas, más objetivas, más sensatas. Para nosotros, son opacas: las miramos, pero no logramos ir adentro. Estamos tan empapados de una visión masculina que no entendemos. En contrapartida, para las mujeres, nosotros somos transparentes. Lo que me preocupa es que cuando la mujer llega al poder pierde todo aquello. Hay tres sexos: femenino, masculino y el poder. El poder cambia a las personas.

José Saramago.[2]
Ai! Esta baleia franca agonizando na praia de Itaperubá, em Laguna (SC), agonizando frente à nossa impotência, resistindo e sobrevivendo a um coquetel de medicamentos para a eutanásia. Ai! Esta baleia franca entalada dentro de mim, virada numa metáfora de coisas grandes e sagradas, maravilhosas e que parecem que não tem mais lugar e nem cabida neste mundo. Resta-nos observá-la, mirar-nos, bravamente, na sua capacidade de resistência mesmo sabendo que estamos assistindo a sua morte. Passo horas pensando na baleia, tentando adivinhar-lhe as dores, os movimentos impossíveis, a respiração difícil. A baleia levo-a entalada por aonde vou, nestes dias, presa dentro de mim, e um sentimento aterrador se instala sem remédio.
Sinto-me como o protagonista do filme do Bela Tarr, As Harmonias de Werckmeiser, quando a vida de uma pequena cidade do interior da Hungria é transformada com a chegada de uma baleia gigante empalhada. E da sua incompreensão, ao ver a baleia, quando se pergunta sobre como Deus pôde conceber uma criatura daquelas e ainda por cima fazê-la viver no mar!
A baleia é mítica, é sagrada, é um símbolo também, e na sua grandeza é a metáfora que escolho para expressar, neste momento, o meu desassossego e o meu profundo descontentamento. Lembro das muitas vezes ao longo da minha vida que tive de mergulhar muda e só no descontentamento, na paralisia da baleia encalhada, como uma criança que ouve da mãe, engole e choro e não reclama, para aquelas situações quando as nossas sábias e pragmáticas mães sabem como ninguém que não nos resta mais nada além de obedecer e aceitar. E calar. E sempre que não pude expressar o meu descontentamento, a minha discordância, o desassossego comprometeu os meus movimentos mais espontâneos e a minha fala mais verdadeira e por isso a minha alma adoeceu. A minha alma que era um mar, um mar que já não podia conter uma baleia. A baleia que mal respira e que não desiste sob os nossos olhos atônitos.
Tenho convivido com um profundo sentimento de frustração e de estar vivendo uma oportunidade única que está sendo desperdiçada. A minha geração de mulheres sonhou e lutou por muitas coisas lá na origem dos movimentos de mulheres deste país. Digo nas origens porque me filio a uma linhagem de outras mulheres, anteriores, que pensaram e me ensinaram tudo o que me faz, ainda hoje, me perceber como cidadã, mãe, profissional e mulher no mundo. Ensinaram-me, antes de tudo, que o movimento de mulheres sempre reivindicou a autonomia das mulheres, de forma mais importante ainda do que a igualdade com os homens. Permanece soberana, em algumas de nós, a raiz de toda esta luta que tem sido, historicamente, uma luta por autonomia. E eis que temos, neste momento, a possibilidade de duas candidatas mulheres à Presidência da República. E nunca o debate foi tão vazio, de tão baixo nível e as mulheres nunca ficaram tão caladas. A baleia agoniza, mas resiste, sinto sua respiração, sua alma que não se entrega. Ai baleia calada!
Quando a então Ministra Dilma Roussef anunciou publicamente que tinha câncer fiquei estarrecida da maneira como os seus colegas de Esplanada e de partido expressaram publicamente o tanto que este fato podia ajudá-la a crescer nas pesquisas como candidata à Presidência da República. Os comentários foram absurdos e não ouvi nenhuma grita de indignação sobre este tratamento dispensado à Ministra, já naquele momento precisávamos ser pragmáticos, outra vez pragmáticos e batendo o martelo, ali já começava a se gestar o que temos como a estratégia urgente de todos estes meses, a pressa desenfreada, o vale tudo porque ela tem de vencer, doa a quem doa, danem-se as baleias, dane-se o meu desassossego. Falava-se da maneira como a doença podia render-lhe uma imagem de lutadora, de sobrevivente e a então Ministra tinha deixado de ser uma mulher e tinha se transformado numa candidata, ia capitalizar com a doença e com outros episódios também. Não vi ninguém questionar estas declarações desastrosas, perversas, mas parece que nada disso é importante e que minhas considerações sabem a um sentimentalismo inoportuno e incorrigível, devo dizer, a esta altura do campeonato.
Lembro de um livro clássico que muitas mulheres da minha geração leram com atenção, Os seis meses em que fui homem, um texto canônico da Rose Marie Muraro[3] onde ela conta do estresse absoluto vivido quando teve de exercer um cargo de alta responsabilidade, e repetir assim os gestos irrefletidos, como chamo os gestos das mulheres que assumem o poder, porque só conhecemos este jeito de exercer o poder, o jeito masculino de fazê-lo, e ai de nós se não for assim, já que é este jeito que nos mantém ou destitui da coisa toda. A coreografia dos gestos irrefletidos, frutos da consciência embargada, valeu-lhe um câncer de útero. Foi uma das poucas narrativas sinceras que vi sobre o assunto.
Outro clássico que vale a pena lembrar é O cálice e a espada da americana Riane Eisler[4], onde ela estuda, ao longo da história do mundo, as relações entre os homens e as mulheres. Atenta para o fato de que não haveria nenhuma evidência consistente, depois de tantas tentativas de prová-la, da existência de um matriarcado na história do mundo. Um matriarcado, que em exata oposição ao patriarcado seria uma sociedade onde as mulheres dominariam os homens. Para a autora isso não aconteceu e esclarece que sim, o que criou uma cultura da deusa ao longo da história do mundo e que é a que sobrevive na nossa memória, seriam momentos em que as mulheres, em comunidades matricêntricas, tinham um lugar de destaque e eram valorizadas num patamar de igualdade aos homens que simplesmente exerciam funções diferentes das delas. Aponta Creta como um momento de excelência desta evidência e propõe que estes momentos da história do mundo se constituíram em momentos de grande florescimento cultural, espiritual e de pacificação.
A teoria de Eisler, que é muito mais inteligente e abrangente do que eu possa contar numa crônica, propõe que para que entendamos as complexas relações de dominação entre os homens e as mulheres, é necessário um olhar diferenciado sobre estas relações através do que ela chama de uma teoria da transformação cultural, a partir de uma perspectiva holística e que reflete sobre os dois modelos básicos de sociedade que subjaz à grande diversidade superficial da cultura humana. Um seria o modelo dominador, popularmente chamado de matriarcado ou patriarcado, onde uma metade da humanidade exerce a supremacia sobre a outra, e o outro modelo chamado de parceria, baseado num princípio de união e onde a diversidade não é equiparada à inferioridade ou à superioridade.
O trabalho de Eisler que começa com estas considerações, no início dos anos 80, teve desdobramentos importantes e o livro que trata sobre o Poder da parceria[5] fez da autora uma importante ativista pela paz. Ela, recentemente, em entrevista ao GNT, disse que o Brasil, através do Bolsa Família, se constitui num exemplo a ser seguido pelo mundo, como uma prática de economia solidária e de pareceria. Ela, portanto, propõem sim, uma alternativa ao que temos no poder, um poder de parceria, onde o lugar das mulheres seja outro, diferenciado, e que sua maneira de estar no poder seja inovadora, negando, entre outras coisas, uma cultura da hierarquia burra, do mundo da guerra e da violência desmedida.
A baleia mal respira dentro de mim, sinto-lhe as ganas de mover-se com força e agilidade, dar uma rabanada com a cauda, mover-se, mas suas forças se esvaem. As minhas mais sinceras esperanças vão-se junto com elas.
A sensação é a de estar vivendo uma oportunidade única e, ao mesmo tempo, a de estar presenciando um irreparável desperdício histórico. O que para mim, na metade da jornada da vida, me abate sobremaneira, sabedora de que não temos muito mais tempo assim para erros incorrigíveis. A oportunidade única deve-se ao fato de que temos, neste momento, duas mulheres candidatas à Presidência da República do País. O desperdício histórico é porque a sociedade brasileira decidiu não pensar sobre este assunto, fazer de conta de que isto não está acontecendo e de onde podemos concluir que se as respostas têm sido imbecis, infantis, senso-comunsíssimas, é porque há uma ausência absoluta das perguntas importantes. E, portanto, a impossibilidade de um debate que não pode ser feito às pressas e nem sob censura.
Fala-se do figurino e do penteado das candidatas, fala-se de sua orientação sexual, falam-se banalidades e superficialidades. A candidata Dilma foi elevada a uma condição de Magna Mater, ao lado do Presidente Lula, que por sua vez, foi elevado a um patamar de líder intergaláctico ou a uma espécie de vice-Deus, coroados agora pelo nascimento de um menino chamado Gabriel, que nasceu abençoado como um anjo, o que nos faz lembrar, uma fábula outra, muito antiga, tão antiga como a existência das baleias, este bicho tão inconveniente a me triturar as vísceras de angústia e agonia.
A propaganda eleitoral do Partido dos Trabalhadores, ao criar esta tríade de presépio, repetida à farta nos comícios, nos discursos e nos palanques, de diferentes maneiras, nega, na prática, o próprio trabalho da Secretaria Especial de Políticas das Mulheres do governo Lula, que as coloca, às mulheres brasileiras, em seus projetos e programas, como protagonistas autônomas e empoderadas sem fazer este uso reacionário e ideológico da figura da mamãezinha terna, coadjuvante, subserviente e subalterna que tem de cuidar do mundo. E trata, assim, o povo brasileiro como um bando de debilóides. Cala a boca baleia, morre baleia!
Continuo sem respostas para as minhas perguntas. As mulheres querem o poder? E chegando lá como querem exercê-lo? Da mesma maneira que os homens? Há outro jeito das mulheres estarem no poder? Como é esse jeito? E os homens, como vão lidar com as questões propostas pelas mulheres? E se elas não concordarem? E se elas se rebelarem? E se elas não obedecerem? Qual o significado do desinteresse de um grande número de mulheres para que se lancem como candidatas? E qual o significado do voto feminino para tal ou qual candidato? E da rejeição deste mesmo voto para tal ou qual candidato? Baleia preguiçosa, burra, esqueceu de pensar, vai pagar caro por isso, pela inconsciência, baleia burra, morre baleia burra!
A poucas semanas da eleição sinto uma imensa frustração, já entrei na pressa da coisa toda, tomara que termine logo, tomara que termine de uma vez. Morre baleia, morre. Vai morrer na praia, seu bicho burro!
Mais uma vez o debate foi negligenciado. Mais uma vez o debate que envolve os desejos, os direitos e as reivindicações específicas das mulheres foi negligenciado, o mundo avança e a história das mulheres encalha como a baleia franca. Muito provavelmente a candidata Dilma será a próxima presidente do país. Pagaremos um preço alto pelas perguntas que deixamos de fazer, das vezes que deixamos de questionar com senso crítico e autonomia de pensamento, das vezes que deixamos de dizer não, de dizer que assim não nos serve, que não se pode tratar uma mulher de determinadas maneiras, como um ser sem vontade e de todas as vezes que compactuamos mudas com este tratamento e com a conivência e passividade de determinadas condutas, das vezes que nos omitimos, das vezes que calamos frente a impossibilidade de alguns tipos de alianças, das vezes que esquecemos que mais cedo ou mais tarde vamos ter de responder às nossas filhas, às nossas leitoras, às nossas alunas, pelas nossas próprias escolhas.
A baleia agoniza, mas não morre, a desgraçada!
Do outro lado do mundo, também numa praia, no final de junho, onze mulheres israelenses levaram mulheres palestinas para passear em Telavive e Jaffa, sem pedir autorização do governo do premiê Benjamin Netanyahu - em desafio à rigorosa lei de entrada em Israel, conforme nos conta Viviane Vaz[6] em matéria publicada no Correio Braziliense. "Nós comemos num restaurante, tomamos banho de mar e nos divertimos na praia". A jornalista Ilana Hammerman conta que os passeios entre palestinas e israelenses têm se repetido cada vez com um número maior de mulheres e se transformado num ato espontâneo de desobediência civil e pacífica já que elas não reconhecem a legitimidade da ocupação, dos muros e dos postos de controle instalados por Israel no território palestino da Cisjordânia.
A baleia sente um frêmito, um frêmito como um raio, como uma faísca, um esboço de resposta, quem sabe.
Enquanto as nossas reivindicações não forem claras, enquanto não modularmos o discurso de maneira inteligente e veemente, enquanto não dissermos a nós mesmas e ao mundo qual é a maneira que queremos exercer o poder e se de fato queremos fazê-lo, enquanto não articularmos a conduta, o gesto e a voz, só nos restará o expediente da desobediência, prática feminina tão antiga esta, que nos projeta para a margem do mundo, para fora da institucionalidade, transformadoras e revolucionárias algumas vezes, inoperantes e esquecidas, quase sempre. Que é como voltar sempre ao começo, ao começo do mundo, ao começo dos tempos. A baleia estertora dentro de mim, uma ânsia, sinto cólicas de angústia nestes últimos dias, o peso e a dor enorme de carregar esta baleia moribunda, as minhas esperanças maltratadas, e essa tristeza sem fim, uma oportunidade histórica desperdiçada, quanto retrocesso! Baleia burra. Vai morrer encalhada, vai morrer na praia, baleia burra!

1- Lélia Almeida é escritora. http://mujerdepalabras.blogspot.com/
2- http://www.escribirte.com.ar/destacados/5/saramago/noticias/864/saramago:-me-preocupa-la-mujer-en-el-poder.htm
3- MURARO, Rose Marie. Os seis meses em que fui homem. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1993.
4- EISLER, Riane. O Cálice e a Espada: Nossa História Nosso Futuro. Imago: Rio de Janeiro, 1989.
5- EISLER, Riane. O Poder da parceria. São Paulo: Palas Athena, 2007.
6- http://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia182/2010/09/07/mundo,i=211808/GRUPO+DE+MULHERES+EM+ISRAEL+DESAFIA+TABUS+PARA+SE+APROXIMAR+DE+PALESTINAS.shtml




  Mais notícias da seção Diversos no caderno Espaço do Escritor
23/09/2011 - Diversos - O borracheiro dos livros
Onde já se viu misturar livros com pneus?! E com graxa, ainda por cima?!? Isso vai dar certo não... Escolado na vida, Seu Joaquim, do alto dos seus 40 anos na profissão, deu o veredicto: não havia a menor chance de aquilo dar certo. Era como água e vinho... Seu Joaquim borracheiro só não contava com a teimosia do filho, cabeça dura como o pai. Cora...
04/10/2010 - Diversos - Vão das Letras traz novidades para os leitores
Recitais aberto ao público e troca de livros são algumas das inovações da Feira de Livros que acontece no Domingo do TCA O Vão Livre do Teatro Castro Alves receberá no dia 17 de outubro (domingo), das 12h às 18h, a Feira de Livros Vão das Letras, um projeto do Núcleo do Livro, Leitura e Literatura da Fundação Pedro Calmon/Secult, em parceria com a...
01/10/2010 - Diversos - Biblioteca Anísio Teixeira promove palestra com o escritor Roberto Leal
Escritores, poetas, professores, estudantes e o público interessando em conhecer o ofício do escritor, suas principais dificuldades e as maneiras de superá-las, terão a oportunidade de vislumbrar estas questões na próxima sexta-feira, dia 8 de outubro, às 14h30, na Biblioteca Anísio Teixeira (Ladeira de São Bento), durante um bate papo com o poeta,...
30/09/2010 - Diversos - A importância da arte para o ser humano
A Cultura é uma das coisas mais importantes para o desenvolvimento do ser humano. É através dela que nós nos identificamos como sociedade e como seres capazes de criar e recriar seus próprios valores....
29/09/2010 - Diversos - Dilma Roussef - não há o que temer
Dilma: a(o) Anti-Cristo?Há muito, não se via e nem se ouvia tanto absurdo, a respeito de um candidato à Presidência, como está sendo propagado e forjado nestas eleições, levianamente, contra Dilma Rousseff....
21/09/2010 - Diversos - II Prêmio Nacional de contosde Guarujá - 2010
Regulamento1 " Dos objetivosA AGE " Associação Guarujaense de Escritores ", com o apoio da Secretaria Municipal de Cultura de Guarujá, institui o II Prêmio Nacional de Contos de Guarujá.O prêmio tem por objetivo laurear escritores de contos inéditos, residentes em todo o território nacional....
16/09/2010 - Diversos - Eleição na Academia de Letras de Jequié
Embora a escolha de Adilson Gomes como o novo presidente da Academia de Letras de Jequié (ALJ), - tendo Jorge Barros como o seu vice - tenha sido por aclamação, a eleição dos cinco novos acadêmicos titulares foi decidida após uma acirrada disputa, sendo que no último dia 15 de setembro aconteceu a contagem dos votos para a eleição dos novos membros...
15/09/2010 - Diversos - O sequestro de Waly Salomão
Em 1988 o PMDB ainda discutia o seu candidato á sucessão de Mário Kertész. Na ocasião se verifica o "racha" entre os chamados históricos e o grupo que reunia Mário Kertész e o empresário espanhol naturalizado brasileiro Pedro Irujo. Estes apresentaram inicialmente a candidatura de Gilberto Gil a prefeito, que não seria aceita pelo governador Waldir...
14/09/2010 - Diversos - Alternativas para ensino da literatura em debate na UFPE
Nos próximos dias 14,15 e 16, acontece o Seminário Novos Paradigmas do Ensino de Literatura no Ensino Médio. O evento é uma parceria entre o Programa de Pós-Graduação em Letras e o Programa de Pós-Graduação em Educação, com o apoio da Pró-Reitoria para Assuntos de Pesquisa e Pós-Graduação (Propesq) e da Pró-Reitoria de Extensão (Proext) da Universi...
14/09/2010 - Diversos - Margareth Menezes e Jackson Costa prestigiaram o I Encontro de Escritores Baianos Independentes
O I Encontro de Escritores Baianos Independentes (I ENEBI), realizado entre os dias 10 e 11 de setembro, na Biblioteca Pública do Estado da Bahia, foi abrilhantado com as presenças da cantora Margareth Menezes e do ator e apresentador do programa Aprovado da Rede Bahia, Jackson Costa. Os artistas estiveram no Quadrilátero da Biblioteca no último di...
12/09/2010 - Diversos - Joilson Pinheiro, o poeta baiano que vive na Rocinha, no Rio de Janeiro
Joilson Pinheiro nasceu no Recôncavo da Bahia nos anos sessenta. Em 1981 mudou-se para Salvador e, em 1999, migrou para o Rio de Janeiro. Mora na Favela da Rocinha onde vive aprontando; realiza eventos literários, apresenta um programa de rádio dedicado à poesia e desenvolve uma oficina literária para crianças e adolescentes....
05/09/2010 - Diversos - I Fórum de Artes, Mercado e Tecnologia: encontro para desenvolvimento da cultura em rede
Iniciativa busca contribuir para o fortalecimento da cadeia produtiva das artes na Bahia através da potencialização de redes colaborativasDe 9 a 11 de setembro (quinta a sábado), Salvador vai reunir nomes de referência nacional e internacional em articulação de redes de cultura no I Fórum de Artes, Mercado e Tecnologia " FAMT. Desenvolvido a partir...
04/09/2010 - Diversos - Caravana da Leitura passará por cinco cidades do Rio de Janeiro
O projeto é realizado em praça pública e disponibiliza ao público livros por um preço simbólico.O projeto "Caravana da Leitura" criado pelo escritor Laé de Souza, depois de percorrer mais de 100 cidades brasileiras chega a diversas cidades do interior do Rio de Janeiro. Aplicado desde 2004, em parceria com as Secretarias de Educação e de Cultura do...
02/09/2010 - Diversos - Estreia o Sarau da Biblioteca São Paulo
O alicerce da moderna Biblioteca de São Paulo sepulta milhares de histórias. Reais! Inglória face na arte de reeducar e reintegrar. No Complexo Carandiru, muito mais que 111 agonias circularam entre muros e barras de ferro, diuturnamente, durante mais de seis décadas. Reduzida a pó, restaram amargas lembranças. Não poucas. Em seu lugar, ergueu-se a...
30/08/2010 - Diversos - Presenciando a implosão da Fonte Nova
Ontem à noite me resolvi, iria assistir a implosão do Estádio da Fonte Nova. Fiquei em dúvida vários dias por me assaltarem sentimentos de tristeza. Afinal, foi alí que me iniciei esportivamente, quando meu pai me levava para entrar em campo com o time do Vitória, e onde comecei a partir de 1961(Bahia 1 X 1 Santos) a assistir os grande jogos(e depo...
27/08/2010 - Diversos - Biblioteca realiza o 5º Encontro de Artistas em Itaparica
Os profissionais das artes terão um encontro marcado neste sábado, dia 28 de agosto, às 19h, na Biblioteca Juracy Magalhães Júnior, em Itaparica para expor suas obras no 5° Encontro de Artistas, que pretende reunir artistas plásticos, artesãos, cantores, escritores, dançarinos, cineastas, ceramistas, músicos, poetas, entre outros. No encontro acon...
26/08/2010 - Diversos - Novo post: Projetos literários do DF na 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
Em agosto (12 a 22) aconteceu a 21ª. Bienal Internacional do Livro de São Paulo, promovida pela Câmara Brasileira do Livro, onde o Plano Nacional do Livro e Leitura " PNLL/MinC abriu um espaço para divulgar as ações publicadas no Mapa de Ações do PNLL com material impresso e auditório para uma programação disponível para as ações do Mapa do PNLL,...
26/08/2010 - Diversos - Projetos literários do DF na 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
Em agosto (12 a 22) aconteceu a 21ª. Bienal Internacional do Livro de São Paulo, promovida pela Câmara Brasileira do Livro, onde o Plano Nacional do Livro e Leitura " PNLL/MinC abriu um espaço para divulgar as ações publicadas no Mapa de Ações do PNLL com material impresso e auditório para uma programação disponível para as ações do Mapa do PNLL,...
26/08/2010 - Diversos - Projetos literários do DF na 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
Em agosto (12 a 22) aconteceu a 21ª. Bienal Internacional do Livro de São Paulo, promovida pela Câmara Brasileira do Livro, onde o Plano Nacional do Livro e Leitura " PNLL/MinC abriu um espaço para divulgar as ações publicadas no Mapa de Ações do PNLL com material impresso e auditório para uma programação disponível para as ações do Mapa do PNLL,...
26/08/2010 - Diversos - Poesia e música nos Domingos Culturais
O grupo de poesia Isto e Aquilo e o grupo cênico musical Os Multipétalos movimentam a Biblioteca Pública neste final de semana A Biblioteca Pública do Estado da Bahia (Barris), em mais um domingo cultural, promoverá as apresentações do grupo de poesia "Isto e Aquilo" e do grupo cênico musical "Os Multipétalos", neste domingo, dia 29 de a...
24/08/2010 - Diversos - CANTORA BAIANA GILMELÂNDIA INTERPRETARÁ MARIA NA PAIXÃO DE CRISTO DE LAURO DE FREITAS
A estrela da música baiana Gilmelândia interpretará a Mãe de Jesus, Maria no maior espetáculo de teatro ao ar livre da Bahia, a "Paixão de Cristo", que será realizado de 15 a 17 de abril de 2011, na grande arena montada na Praça da Matriz de Lauro de Freitas pelo 13º ano consecutivo. ...
24/08/2010 - Diversos - Prêmio Valdeck Almeida de Jesus de Poesia " V Edição 2009 e Antologia do amor (organização Valdeck Almeida de Jesus)
Fui a Bienal do Livro em São Paulo, pela primeira vez na condição de autor e não paguei ingresso, o crachá oferecido pela Editora Scortecci permitia livre acesso aos partícipes da Antologia Dellicatta, da qual participei com três poemas da minha fase noire, (Nos umbrais da quimera, Coruja, Giselle em Copacabana), que estou começando a esquecer em p...
24/08/2010 - Diversos - TEATRO - OFICINA NO CENTRO CULTURAL ENSAIO
Márcio Liolly convida para oficina de teatro em Salvador-BA....
23/08/2010 - Diversos - PRESIDENTE DA ALACA ABORDARÁ EM EVENTO INSTITUCIONAL A TEMÁTICA DIVERSIDADE
DIVERSIDADE: por uma cultura em Educação em/para Direitos Humanos...
18/08/2010 - Diversos - Darlan Tupinambá (Dimythryus) faz contracapa de livro de Valdeck Almeida de Jesus
O livro "Amor e Paixão", do escritor baiano Valdeck Almeida de Jesus, está no prelo, pela Madio Editorial. Composto de poemas falando dos amores e das paixões, a obra promete sucesso no mercado editorial....
17/08/2010 - Diversos - ROTEIRO DA POESIA
2ª quinzena de agosto de 2010 Rio de Janeiro - Capital da Poesia SESSÕES LITERÁRIAS - SOBRAMES/RJ - última terça-feira do mês, das 18:30 às 20:30h, no auditório do subsolo do CREMERJ, Praia de Botafogo, 228. Coordenação de Juçara Valverde - Pres.(apperjiana). Informações pelo e-mail: jucarvalverde@gmail.com ou janeflora@gmail.com...
16/08/2010 - Diversos - Por que a Geração Y vai mal no ENEM?
Para todo lugar que se olha, há um inveterado leitor adulto condenando nossa juventude perdida por conta do resultado do ENEM, o Exame Nacional do Ensino Médio, que serve, digamos assim, para medir as habilidades de nossos não-leitores em relação à língua portuguesa....
16/08/2010 - Diversos - Projetos literários do DF na 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo
Em agosto (12 a 22) acontece a 21ª. Bienal Internacional do Livro de São Paulo, promovida pela Câmara Brasileira do Livro, onde o Plano Nacional do Livro e Leitura " PNLL/MinC abriu um espaço para divulgar as ações publicadas no Mapa de Ações do PNLL com material impresso e auditório para uma programação disponível para as ações do Mapa do PNLL, ...
16/08/2010 - Diversos - Atração literária na Bahia
Bienal do Livro termina neste domingo e vale a pena conferirQuem estiver viajando para Salvador - e também quem mora na cidade, mas ainda não teve condições de prestigiar -, um ótimo programa é visitar a 9ª Bienal do Livro da Bahia, que se realiza até o próximo domingo, dia 26, no Centro de Convenções....
16/08/2010 - Diversos - Resultado oficial do 1º Concurso Literário Nacional Buriti Cronicontos
MAIS INFORMAÇÕES NO BLOG OFICIAL DO CONCURSOhttp://concursoburiticronicontos.blogspot.com/ CADASTRE-SE COMO SEGUIDOR PARA SEGUIR INFORMADOABRAÇO AMIGO DE RITA VELOSA ...



Capa |  Atualidades  |  Espaço do Escritor  |  LGBT na Imprensa  |  Manchete
Busca em

  
481 Notícias